Em Destaque

NOTA DE REPÚDIO

Nós mulheres Indígenas, pescadoras, extrativistas, negras, parteiras tradicionais, quebradeiras de Coco, coletoras, marisqueiras de matriz africana do campo da floresta das águas e das cidades e todas as organizações integrantes dos nove Estados da Amazônia Legal Brasileira, vimos a público manifestar nosso Repúdio e Indignação contra a barbárie ocorrida no dia 27/7 no município de Pedra Branca no Amapá.
Mais uma grave violação dos Direitos, mais um atentado à vida dos povos indígenas que habitam a região Amazônica. Um verdadeiro genocídio que dizimou uma liderança indigena da etnia Waiãpi, sendo estes, os verdadeiros guardiões da floresta e de seus territórios. Na manhã do dia 27 de Julho, foram surpreendidos e atacados por um grupo de garimpeiros fortemente armados que promoveu a invasão das terras indígenas que ja são demarcadas. Denunciamos e exigimos a identificação e a punição dos agressores e invasores, considerando que tal conduta se enquadra na violação de direitos humanos, no descumprimento da Constituição Federal, da Convenção169 da Organização Internacional do Trabalho, na Declaração das Nações Unidas sobre os direitos dos povos indígenas e na Declaração dos Estados Americanos sobre os Direitos dos povos indígenas. Tais direitos, têm sido amplamente reafirmados em jurisprudências internacionais, o que nos leva a exigir o cumprimento imediato da legislação para coibir os atentados a vida dos povos da floresta! Nesse sentindo, reafrmando direitos, cidadania e valores humanos à vida dos povos indígenas, vimos externar nosso respeito e solidariedade aos povos originários.
Sangue indígena nenhuma gota a mais!

Movimento Articulado de Mulheres da Amazônia
MAMA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *